fbpx

Desenhistas Marcantes na História dos Quadrinhos

110

O mundo dos quadrinhos sempre foi uma porta para o desconhecido, pois a cada novo desenhista, um personagem já conhecido pode ganhar novas formas e cenários nunca imaginados. Poucos tiveram o poder de mudar completamente o mundo dos quadrinhos, mas os que conseguiram, serão eternamente lembrados. Vamos falar de alguns:

1 Alex Raymond 

Alex Raymond 

Criador de um ícone “sideral” chamado Flash Gordon, inspirou George Lucas mais tarde na criação do universo de Star Wars, apresentando um herói do espaço que defendia o bem contra o mal. Dono de um talento versátil e um estilo incisivo, o americano Alex Raymond influenciou muitos artistas.

2 Joe Shuster 

Joe Shuster 

Imagine criar um exemplo para toda a humanidade, um ser tão perfeito e composto de bondade que não poderia ser humano. Assim nasceu o herói mais conhecido do nosso mundo. Super-Homem. Clark Kent como disfarce também entraria para a história como a primeira inversão de papeis sobre sua identidade secreta, pois, Kal-el é a identidade real e o filho de Martha e Johnatans Kent o disfarce.

3 Jack Kirby 

Jack Kirby 

Aclamado hoje pelos fãs de inúmeros personagens, criou ou participou da construção de heróis como Capitão América, Hulk, Quarteto Fantástico, Thor, Os Vingadores e muitos outros famosos heróis. Os traços caricatos, as expressões faciais, as perspectivas dinâmicas – muitas linhas que definem o super-herói norte-americano foram traçadas por Jack Kirby. Também escreveu seu nome ao criar os Novos Deuses na DC comics.

4 Steve Ditko 

Steve Ditko 

Criador de ninguém menos do que o nosso amigo da vizinhança, O Homem-Aranha. Steve Ditko colocou o primeiro adolescente como protagonista do universo Marvel. Também foi responsável por dar vida aos conceitos de outras dimensões mostrados pelo mago supremo da Marvel, O Dr. Estranho.

5 Dave Gibbons 

Dave Gibbons 

Gibbons colocou seu nome na nossa história contemporânea, após trabalhar junto de Alan Moore na graphic novel aclamada por muitos como a melhor de todos os tempos, Watchmen. Retratando as ansiedades contemporâneas e lançando um olhar crítico ao conceito de super-herói, Watchmen se tornou um marco. Publicada entre os anos de 1986 e 1987, a graphic novel serviu como síntese das temáticas questionadoras que pipocavam nos mais diversos quadrinhos da época

6 John Byrne 

John Byrne 

O sucesso dos mutantes mais amados ou odiados do mundo se deve muito a John Byrne, pois o trabalho em conjunto com Chris Claremont, deu vida a fórmula hoje muito usada nos filmes de super-heróis na utilização de humor nas histórias, aliviando assim os temas mais pesados e dando um carisma muito maior aos personagens. Fazendo isso também com os vingadores e o quarteto fantástico. Foi criador de arcos como a Fênix Negra e Dias de um futuro esquecido. Também é responsável por trazer e moldar o personagem canadense com garras de Adamantium que todos somos fãs, Wolverine.

7 Frank Miller 

Frank Miller 

Todos os fãs de quadrinhos devem muito para Frank Miller. A forma sombria com que usa seu traço, modificou toda uma geração. Usando uma abordagem muitas vezes visceral nas páginas e colocando heróis em situações extremas, se colocou como referência e ponto de debate quando se trata de quadrinhos. O criador de Cavaleiro das Trevas, Sin City e 300 é praticamente uma unanimidade no que se diz respeito a ambientação de seus personagens nessas histórias e sua forma mais sóbria e pesada. Pelo trabalho realizado na graphic novel 300, recebeu o Oscar dos quadrinhos em 1999, prêmio recebido por Miller direto das mãos de Eisner.

8 Will Eisner (1917 – 2005)

Will Eisner (1917 – 2005)

É importante reverenciar aqui um dos artistas mais importantes da indústria dos quadrinhos, pois poucos têm a honra de dar nome ao prêmio máximo de seu ramo, mas a homenagem prestada a Will Eisner é um destes raros casos. Em 1940, deu vida a um de seus personagens mais famosos: Spirit, que chegou a ter circulação de 5 milhões de cópias entre 1940 e 1952. Eisner foi um dos responsáveis por cunhar o termo graphic novel.

“Will Eisner não apenas ilustrava um roteiro, ele pensava tudo. Do formato das letras e dos balões aos traços dos personagens, que podiam mudar de acordo com o estado psicológico dos personagens, ele explorava todos os elementos para contar as histórias”, diz o pesquisador Daniel Werneck. Foi criado em 1988 o Will Eisner Comic Industry Awards – o Oscar dos Quadrinhos – anunciado anualmente na Comic-Con, em San Diego.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.