fbpx

Equinor Com Projeto de US $ 8 bilhões

Equinor faz FID para projeto Bacalhau Fase 1 de US $ 8 bilhões

126

A petrolífera norueguesa Equinor, junto com seus parceiros, decidiu desenvolver a primeira fase do campo de Bacalhau na área do pré-sal brasileiro de Santos.

A Equinor disse na terça-feira que o investimento foi avaliado em US $ 8 bilhões. Seus parceiros no projeto são ExxonMobil , Petrogal Brasil e Pré-sal Petróleo SA (PPSA) .

 

 

Arne Sigve Nylund , vice-presidente executivo da Equinor para projetos, perfuração e aquisições, disse: “ Este é um dia emocionante. Bacalhau é o primeiro empreendimento greenfield de uma operadora internacional na área do pré-sal e criará grande valor para o Brasil, Equinor e parceiros.

“ Bacalhau é um projeto globalmente competitivo com um ponto de equilíbrio abaixo de US $ 35 em uma importante região de energia. As reservas recuperáveis ​​estimadas para a primeira fase são de mais de um bilhão de barris de petróleo ”.

Equinor acrescentou que o plano de desenvolvimento do projeto foi aprovado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) em março de 2021.

Veronica Coelho , country manager da Equinor no Brasil, afirmou: “O Bacalhau é um passo importante para a realização de nossa ambição estratégica de aprofundar nossa presença no Brasil. É também um projeto importante para o país, pois representa investimentos significativos, efeito cascata na cadeia produtiva e geração de empregos locais ”.

 

Equinor

 

Atualmente, o primeiro óleo está planejado para 2024, mas devido à pandemia COVID-19 e às incertezas relacionadas, os planos do projeto podem ser ajustados em resposta às restrições de saúde e segurança.

Juan Lessmann , gerente nacional líder da ExxonMobil no Brasil, acrescentou: “ O desenvolvimento do campo de Bacalhau é um investimento estratégico em nosso portfólio global e tem o potencial de trazer altos retornos para a ExxonMobil, nossos parceiros e o povo brasileiro.

“ Este projeto progrediu devido à forte colaboração entre ExxonMobil, Equinor, Petrogal e o governo ”.

O campo de Bacalhau está situado em duas licenças, BM-S-8 e Norte de Carcará. O recurso é um reservatório carbonático de alta qualidade, contendo óleo leve com contaminantes mínimos.

O desenvolvimento consistirá em 19 poços submarinos ligados a uma unidade flutuante de produção, armazenamento e descarga (FPSO) localizada no campo. Este será um dos maiores FPSOs do Brasil, com capacidade de produção de 220 mil barris por dia e dois milhões de barris de armazenamento.

O óleo estabilizado será escoado para navios aliviadores e o gás da Fase 1 será reinjetado no reservatório. O contratante do FPSO irá operar o FPSO durante o primeiro ano. Depois disso, a Equinor planeja operar as instalações até o final do período de licença.

Esforços significativos foram feitos para reduzir as emissões da fase de produção. A intensidade média de CO2 ao longo da vida deve ser inferior a 9 kg por barril produzido, significativamente menor do que a média global de 17 kg por barril. O trabalho continuará durante a vida útil do campo para reduzir as emissões e aumentar a eficiência energética.

 

Thore Kristiansen , COO upstream da Galp, disse: “ Bacalhau é um projeto offshore de classe mundial, com baixo ponto de equilíbrio e baixas emissões de carbono. Este projeto irá contribuir de forma significativa para a continuação do crescimento competitivo de upstream da Galp ”.

Eduardo Gerk , diretor presidente da PPSA, destacou: “ O campo do Bacalhau é uma conquista sobre desafios técnicos de alta complexidade, sem perder de vista os aspectos econômicos e sociais positivos. O campo de Bacalhau representa o grande benefício que empresas estrangeiras podem trazer para o desenvolvimento do pré-sal e do Brasil ”.

A Equinor já conquistou diversos contratos para trabalhos na área. No início do ano passado, a Modec foi anunciada como fornecedora do FPSO para o projeto. Também no ano passado, Baker Hughes, Halliburton e Schlumberger receberam contratos para perfuração e serviços de poço no campo de Bacalhau na costa do Brasil.

Mais recentemente, a petrolífera norueguesa garantiu um contrato firme de quatro anos com quatro opções de um ano para o navio-sonda West Saturn . A sonda foi contratada para obras em campo e o início das operações está previsto para o primeiro trimestre de 2022.

 

 

No mês passado, a CGG anunciou que realizaria imagens sísmicas do nó do fundo do oceano (OBN) em Bacalhau, enquanto a Nexans seria a fornecedora de umbilicais para o projeto.

 

 

 

Mande mensagens sobre suas duvidas da área energética para nosso e-mail [email protected] e iremos responder no nosso podcast que é gravado no nosso canal do Youtube toda semana.

Acompanhe nossas redes sociais.

Facebook

Twitter

Seja habitante do MUNDO OFFSHORE

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.